Postagens

Ciências Sociais Africêntricas para Libertação Humana

Na’im Akbar  Tradução: Mpenzi Rocha 
A ciência social representa tanto a expressão de ideologia de povo como faz uma defesa da mesma (Asante, 1980). Na medida em que essa ideologia contém elementos implícitos de opressão, essa ciência social em particular é de fato um instrumento de opressão. Nobles (1978a) discute o fato de que "a ciência ocidental, em particular a ciência social, como as instituições econômicas e políticas, tornou-se um instrumento destinado a refletir a cultura do opressor e a permitir a dominação e a opressão mais eficientes dos povos africanos". Consequentemente, a aceitação acrítica dos pressupostos da ciência ocidental pelos povos africanos é participar de nossa própria dominação e opressão. Nobles, no mesmo debate, continua justificando a necessidade de um método da ciência social que reflita nossa realidade cultural. Nosso objetivo nesta discussão é identificar algumas características desta ciência ocidental e sugerir alguns pressupostos alternati…

TUPAC: Vida e morte do maior rapper que o mundo já conheceu

Imagem
Um embrião na prisão, cultivado através das grades. No dia 16 de junho de 1971, “Lesane Parish Crooks” entraria nesse mundo. Todos o conheceriam mais tarde como “ Tupac Amaru Shakur”, mais poucos sabiam o impacto que ele iria causar. A mãe de Tupac, Afeni Shakur, fazia parte do famoso grupo político “panteras negras”, um movimento que lutava contra o preconceito aos Afro-americanos. Afeni estava grávida de Tupã quando foi presa. Seu padrasto, Mutulu Shakur, foi sentenciado a 60 anos de cadeia por roubar um carro e matar a vítima. Isso teve um grande impacto na vida Tupac, que cresceu sem a figura paterna ao seu lado. Nas ruas, os únicos modelos em que Tupac podia se espelhar eram os traficantes e cafetões. Tupac se mudou pra Baltimore ainda garoto. Ele descreve essa época como os melhores momentos da sua vida. Pac se destacava nas aulas de teatro e já demonstrava um talento acima da média. Mesmo muito novo, Tupac falava com muita desenvoltura sobre assuntos raciais. Seus professores o c…

Hoje na história: 16 de junho de 1976 - 40 anos do Massacre de Soweto

Imagem
Hector Pieterson, de 13 anos, foi um dos primeiros alunos a ser morto durante a Revolta de Estudante 16 de junho de 1976, em Soweto. Desde então, tem sido um símbolo de resistência da juventude ao apartheid. Essa revolta começou em 16 de junho como uma marcha de protesto pacífica organizada pelos estudantes da escola em Soweto. Uma das principais queixas foi a introdução do Afrikaans, considerado como a língua do opressor, como um meio de instrução em todas as escolas africanas.
Muitos jovens foram inspirados pelas idéias de Steve Biko e do Movimento Consciência Negra, dando-lhes o impulso necessário para resistir ao sistema de Educação Bantu, introduzido pelo governo do apartheid na década de 1950. Este sistema, apelidado de "educação sarjeta", foi projetado para treinar povos africanos a aceitar um papel subserviente na sociedade apartheid.

Centenas de estudantes se juntaram à marcha de protesto planejado pelo Movimento Estudantil Sul-Africano (SASM), ao Orlando Stadium Les…

Celebre Kwanzaa!

Imagem
Por: Ulisses Passos.Acadêmico de Direito, Pan-Africanista e Presidente do CNNC/BA.
Kwanza é uma celebração dos pretos e pretas norte-americanos, com enfoque sobre os valores Africanos da família preta, da responsabilidade comunitária, o comércio, e a auto-gestão. Kwanza não é um feriado político, ou religioso, mas um momento a celebração do povo preto, dos nossos antepassados e da nossa cultura.
A palavra Kwanza é derivada da frase em Kiswahili ‘Kwanza do Ya Matunda’, que significa ‘Primeiros Frutos da Terra’, fazendo menção aos primeiros frutos em África.


A princípio, a Kwanza era uma festa comemorada no continente africano, na tradição dos povos africanos de reservar determinada época para festejar a fartura da colheita, e juntos cantar, dançar, comer e beber e comemorar a colheita das primeiras frutas e vegetais. Traria os primeiros alimentos que cresceram ou iguarias que faziam destes para a festa.
Seu fundador é Ron Karenga, conhecido também com Ron “Maulana” Everett, Maulana signifi…

Buck Breaking/Quebrando o Valentão: O Estupro sistemático de Homens Negros durante a escravidão nos EUA

Imagem
Pesquisa e Tradução: Aristóteles Kandimba.


Um escravo Negro amarrado ao tronco, tendo sido acusado de ser desafiante, descortês e de provocar problemas, era espancado com um chicote até sangrar na frente de toda a congregação de escravos. O senhor, proprietário de escravos, morrendo de medo de uma revolta, mandava cortar uma árvore e, com a ajuda do supervisor, golpeava o "Valentão"  em submissão. Logo após ao desgasto do escravo, o senhor branco ordenava os outros escravos a forçá-lo sobre o toco da árvore, onde as suas calças eram removidas expondo-o totalmentea disposição do malfeitor.  
O que viria a seguir causava medo e terror por todas plantações de escravos do Sul (Estados Unidos da América).



O senhor, ao se despir, explicava para todos, principalmente para os jovens negros mais fortes que, se eles não seguissem as ordens estritas e cumprissem os caprichos dele e do supervisor, que também teriam o mesmo destino, sodomizava selvaticamente o escravo na frente da sua espos…