VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 7 de março de 2013

Coordenadora da Cppir fala das relações inter-raciais no Dia da Mulher em Nova Alvorada do Sul



Foto Edemir Rodrigues



Campo Grande (MS) – Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher – 8 de março, a Prefeitura Municipal de Nova Alvorada do Sul, em parceria com a Coordenadoria Municipal da Mulher, realiza o 1º Fórum Inter-Racial da Mulher sulnovalvorandense. O evento inicia-se às 8 horas, nesta sexta-feira (8), com a palestra da coordenadora Especial de Políticas para a Promoção da Igualdade Racial (Cppir/MS), Raimunda Luzia de Brito, no plenário da Câmara Municipal.

Segundo Raimunda de Brito, o negro como um todo, em especial a mulher negra, ainda sofre muitos preconceitos e violências. E que a população negra continua sendo discriminada perante a sociedade. “A gente chega nos lugares de trabalho e não vê negro ocupando cargos importantes. Principalmente a mulher negra. Porque ela ainda esta dentro do contexto de racismo, discriminação e da falta de oportunidades. O que a gente quer é que se abram mais oportunidades para o negro”, disse Brito.

Raimunda também falou sobre a condição da mulher negra no mercado de trabalho. Segundo ela, de acordo com as pesquisas (Censo 2010), a mulher negra ainda encontra-se no último patamar da escala social do País. “Vejo o evento como mais uma oportunidade de a gente abordar essa inter-racionalidade e também discutir o porquê de o Brasil ainda estar trabalhando o critério de raça e porque a aceitação do negro ainda é muito discutida”, questionou a coordenadora da Cppir/MS.

Mapa da violência

De acordo com os dados do Mapa da Violência 2012, lançado em novembro, na Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), em Brasília, em 2010, por exemplo, 14.047 brancos foram assassinados, contra 34.983 negros. Se levada em consideração a idade, a diferença é ainda maior: nesse mesmo ano, enquanto a taxa de homicídio do total da população negra foi de 36,0, a dos jovens negros foi o dobro, 72,0.

        De acordo com o autor da pesquisa, Julio Jacobo, do Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americanos (Cebela), morrem duas vezes e meia mais jovens negros que brancos no País. Em oito anos, a taxa de homicídios de jovens negros, que era de 71,7%, passou para 153,9%. Segundo Jacobo, os altos índices estão se tornando naturais e a educação é a principal alternativa para alterar esse quadro.

Programação
Neste mês da Mulher, a Prefeitura Municipal de Nova Alvorada do Sul está realizando diversas atividades, dentre elas, a Campanha de Prevenção do Câncer, divulgação da lei Maria da Penha, Beleza Negra, palestras e orientações de saúde da mulher, Fórum Inter-Racial, audiência pública sobre políticas para as mulheres e ainda diversas apresentações culturais.

Serviço
O 1º Fórum Inter-Racial da Mulher Sulnovalvoradense será no plenário “Vereador Sérgio Ferraz”, da Câmara Municipal (rua Dorivaldo Monteiro Nogueira), próximo à Prefeitura de Nova Alvorada do Sul (MS).