VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Obama reage contra o racismo norte-americano

 
 
Uma semana depois da absolvição do assassino do jovem negro Trayvon Martin, Barack Obama falou da necessidade de mudar leis que potenciam a violência.
 
Depois do polêmico julgamento de George Zimmerman, o segurança que matou o adolescente, ilibado porque um júri da Florida considerou que agiu em legítima defesa, o Presidente norte-americano despertou velhos demónios ao falar, abertamente, sobre o racismo:
 
“Há muito poucos homens afro-americanos, neste país, que não passaram pela experiência de serem seguido quando faziam compras numa loja. E isso inclui-me. E há muito poucos homens Afro-americanos que não passaram pela experiência de andar na rua e ouvir os cliques das fechaduras das portas dos carros. Isso aconteceu comigo, pelo menos antes de ser senador. Há muito poucos Afro-americanos que não passaram pela experiência de entrar num elevador e uma mulher segurar, nervosamente, a sua mala e prender a respiração até conseguir sair.”
 
O facto da lei na Florida permitir a legítima defesa, com armas de fogo, se alguém se sentir ameaçado, levou a protestos em várias cidades.
 
Fonte: EuroNews