VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 4 de agosto de 2013

Diretor de Hospital Leonor Mendes de Barros chamou enfermeiras de "negras", "gordas" e "porcas"



Alguns médicos da Maternidade Leonor Mendes de Barros, em São Paulo, não cumpriam a jornada de trabalho exigida e passavam na unidade apenas para bater o cartão de ponto. O processo todo não demorava mais do que 15 minutos.
 
Os médicos denunciados já foram afastados. Agora o governo de São Paulo promete investigar Corintio Mariano Neto, diretor do hospital público que, segundo funcionários, sabia de todo o esquema.
O mesmo diretor foi obrigado, em 2006, a indenizar três enfermeiras após chamá-las de "negra", "gorda" e "porcas". 

Fonte: Portal Geledés