VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

STF abre inquérito para saber se Bolsonaro foi racista com Preta Gil


O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), ordenou a abertura de um inquérito para apurar se o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) cometeu o crime de racismo ao tecer um comentário em um programa de TV, em resposta à cantora Preta Gil.


A decisão, do dia 2 de agosto, autoriza diligências por parte da Polícia Federal em um prazo de 30 dias. Após esse prazo, os autos deverão ser encaminhados à Procuradoria Geral da República.


A investigação acontece por causa de uma entrevista exibida em março de 2011, no programa CQC, da TV Bandeirantes. Convidada para participar de um quadro do programa, Preta Gil perguntou ao deputado Jair Bolsonaro sobre o que ele faria se um filho dele namorasse uma mulher negra, ao que Bolsonaro respondeu: "Preta, não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco porque meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambiente promíscuo como lamentavelmente é o teu".


A declaração gerou comentários nas redes sociais e fez com que a cantora decidisse processar o deputado. "Está tudo nas mãos do meu advogado, que me ligou assim que soube do caso. Eu espero que a Justiça esteja do meu lado", completou Preta Gil.


Com relação à pergunta de Preta Gil, Bolsonaro comentou ainda como teria compreendido a pergunta. "O que eu entendi da Preta Gil, por Deus que está no céu, é como eu reagiria caso meu filho tivesse um relacionamento com gay".



O político chegou a dizer que, por não ter entendido a pergunta, encaminhou um requerimento ao Conselho de Ética da Câmara para ter a oportunidade de esclarecer dúvidas.

Fonte: Terra