VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Termo "educado" é mais associado a brancos do que negros




Há quem diga que racismo é coisa do passado. Mas o fato é que os negros ainda carregam uma forte carga de preconceito, ainda que velado. Expressões como "o lado negro", para se referir a algo ruim, ou "inveja branca", indicando algo bom, são apenas alguns dos sinais dos estereótipos negativos que acompanham as pessoas de raça negra. E a pesquisa "When an 'Educated' Black Man Becomes Lighter in the Mind's Eye" - realizada por Avi Ben-Zeeve, Tara C. Dennehy, Robin I. Goodrich, Branden S. Kolarik, e Mark W. Geisler e publicada no site SAGE Open - mostrou como a cor da pele ainda está relacionada, para muita gente, com a inteligência da pessoa.

Um grupo de 125 voluntários participou do estudo. Metade deles foi exposto à palavra "ignorante" e outra metade à palavra "educado". Em seguida, os pesquisadores mostraram a eles a foto de um homem negro, acompanhada de três rostos mais claros e três mais escuros, todas do mesmo homem.

A ideia era que os participantes dissessem qual dos rostos era o original. O grupo que estava com a palavra "educado", costumava apontar os mais claros. É que, no inconsciente, a maioria ainda não consegue associar a imagem de um negro a alguém inteligente, capacitado e educado.

"Quando a expectativa do estereótipo negro é violada (como encontrar um homem negro educado), essa informação culturalmente incompatível se resolve com a distorção do tom da pele da pessoa. Assim ela é guardada na memória como sendo mais branca", disse o líder da pesquisa, Avi Bem-Zeev.


Esse resultado pode ajudar a entender como, ainda hoje, há pessoas que barram a entrada de negros em determinados locais, como shoppings ou lojas e restaurantes mais refinados, por causa da cor da pele ou dos trajes que estão usando.